", }); });
Sábado, 21 de Maio de 2022
°

-

Dólar
R$ 4,88
Euro
R$ 5,15
Peso Arg.
R$ 0,04
Geral Querência

Polícia Civil cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão contra vereador de Querência

Em sessão no dia 21 de março, o parlamentar ameaçou com uma arma um colega vereador.

25/03/2022 às 13h20
Por: Redação Fonte: PCJ MT
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Raquel Teixeira – PJC MT

Policiais civis cumpriram na tarde desta quinta-feira (24.03), em Cuiabá, mandados judiciais de prisão e de busca e apreensão contra um vereador do município de Querência (MT).

O vereador foi preso em Cuiabá por uma equipe da Delegacia de Querência com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). Ele foi localizado em um prédio, na Avenida Rubens de Mendonça, na Capital. O vereador de 46 anos foi encaminhado à sede da GCCO, onde foi formalizado o mandado de prisão e depois encaminhado à sede da Polinter, onde aguardará a apresentação em audiência de custódia do Poder Judiciário. 

Também foram cumpridos nesta quinta-feira pela equipe da Delegacia de Querência os mandados de busca e apreensão na residência do parlamentar e na sede da Câmara de Vereadores. Foram apreendidos um registro de arma, uma munição, um coldre e o celular do investigado.

Ouvido na GCCO, o vereador declarou que desconhece o paradeiro da arma de fogo com a qual ameaçou um colega parlamentar durante sessão na Câmara de Querência. 

Tentativa de homicídio e ameaça

O delegado da Polícia Civil em Querência, Rogério Gomes Rocha, instaurou um inquérito para apurar os crimes de tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e ameaça supostamente cometidos pelo suspeito, de 46 anos, contra um colega parlamentar durante uma sessão na Câmara de Vereadores do Município, no último dia 21 de março. 

Na ocasião, o vereador foi ouvido na delegacia e solicitado pelo delegado que ele apresentasse a arma e a documentação de registro. 

Conforme indícios colhidos pela Polícia Civil, a intenção do vereador era de realizar o disparo contra o colega parlamentar e adversário político. Os policiais civis apuraram ainda que o vereador não possui autorização da Polícia Militar, como sargento da reserva remunerada, para o porte de arma. 

Diante do não atendimento à solicitação da Polícia Civil para que apresentasse a arma usada na sessão da Câmara de Vereadores e dos elementos informativos colhidos, o delegado Rogério Rocha representou à Justiça pelos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários