", }); });
Sábado, 21 de Maio de 2022
°

-

Dólar
R$ 4,88
Euro
R$ 5,15
Peso Arg.
R$ 0,04
Geral Polícia

Ex-secretário de Estado é preso suspeito de participação em tráfico internacional de drogas

Nilton é alvo de uma operação da Polícia Federal que cumpre nove mandados de prisão no Brasil e em Portugal pelo esquema.

19/04/2022 às 10h03
Por: Redação Fonte: G1 MT
Compartilhe:
Foto: Michel Alvim/Secom-MT
Foto: Michel Alvim/Secom-MT

G1 MT

 

O ex-secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Nilton Borges Borgato, foi preso na manhã desta terça-feira (19) por suspeita de participação em esquema de tráfico internacional de drogas. Nilton é alvo de uma operação da Polícia Federal que cumpre nove mandados de prisão no Brasil e em Portugal pelo esquema.

 

Além das prisões preventivas, 46 mandados de busca e apreensão também são cumpridos.

 

O g1 tenta localizar a defesa de Nilton Borgato.

 

O ex-secretário foi preso no apartamento em que ele mora, no bairro Jardim Aclimação, em Cuiabá. Ele deixou a secretaria em março deste ano para se tornar pré-candidato a deputado federal pelo PSD. A exoneração foi no dia 31 de março e a publicação foi no dia 1° de abril.

 

Também é cumprido mandado de busca e apreensão na casa do advogado e lobista Rowles Magalhães. O g1 também tenta localizar o advogado.

 

A operação

 

Nove mandados de prisão são cumpridos na Bahia – onde a operação foi iniciada –, em São Paulo, Mato Grosso, Rondônia e Pernambuco.

 

Outras duas prisões preventivas são cumpridas em Portugal, nas cidades de Porto e Braga. cumpridos e Portugal. No Brasil, também foram decretadas medidas de apreensão, sequestro de imóveis e bloqueios de valores em contas bancárias dos investigados. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Salvador e pela Justiça portuguesa.

 

Investigações

 

As investigações começaram em fevereiro de 2021, quando meia tonelada de cocaína foi apreendida no táxi aéreo de uma empresa portuguesa, no Aeroporto Internacional de Salvador. A droga foi encontrada enquanto a aeronave era abastecida.

 

Na ocasião, cinco pessoas foram conduzidas para Polícia Federal. Na época, no entanto, a PF e a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) não informaram se o grupo ficou preso.

 

Com a apreensão, a polícia conseguiu identificar a estrutura da organização criminosa, que atuava no Brasil e em Portugal. Segundo a PF, os investigados são fornecedores da cocaína, mecânicos de aviação e auxiliares, que abriam a aeronave para guardar a droga.

 

Além disso, transportadores dos voos e doleiros eram os responsáveis pela movimentação financeira do grupo criminoso. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários