", }); });
Sábado, 16 de Outubro de 2021 23:43
66 98150-5448
Geral Investigação

RecordTV produz reportagem investigativa do jornalista de Mato Grosso que vem sofrendo perseguição do governo do estado

Diante da perseguição, Alexandre Aprá teve que fugir de Mato Grosso, porque denunciou o governador Mauro Mendes (DEM), e a primeira-dama do estado, Virgínia Mendes.

30/09/2021 12h41
Por: Redação Fonte: RecordTV
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Por:  Adailson Pereira

O caso do jornalista de Mato Grosso, Alexandre Aprá, dono do site ‘Isso é Notícia’, veio à tona novamente, após a revista eletrônica Domingo Espetacular, da RecordTV, divulgar através de uma reportagem investigativa no último domingo (26), o caso de perseguição sofrida pelo profissional da imprensa.

Diante da perseguição, Alexandre Aprá teve que fugir de Mato Grosso, porque denunciou o governador Mauro Mendes (DEM), e a primeira-dama do estado, Virgínia Mendes.

A reportagem produzida pela RecordTV, revelou que o jornalista resgatou uma imagem postada na rede social de Virgínia Mendes, onde agradecia pelo anel de brilhante presenteado pelo empresário Ziad Fares, dono da ZF Comunicação, agência de publicidade que presta serviços milionários de propaganda ao governo de Mato Grosso.

Vale ressaltar que a ZF havia acabado de ganhar mais uma licitação do governo, que foi logo cancelada após a denúncia feita por Aprá. A primeira-dama registrou queixa contra a suporta fakenews do jornalista. Porém, não negou ter recebido o anel do empresário. Ela relatou que a joia era feita de zircônio e custava só R$ 1.200.

As denúncias não pararam por aí, como aponta a reportagem do Domingo Espetacular. Alexandre Aprá também fez outra denúncia relacionada ao Mauro Mendes, de que empresas vencedoras de licitações para realizar obras na região, tanto na prefeitura quanto no governo do estado, têm agora como sócio Luís Antônio Taveira Mendes, filho do próprio governador.

Após as denúncias, o detetive Ivan Cury Barbosa, com passagens pela polícia, tentou produzir provas falsas para incriminar Alexandre Aprá, vinculando o jornalista com menores de idade, para acusa-lo de pedofilia, entre outros crimes.

Nos áudios e vídeos entregues a polícia pelo jornalista, Ivan Cury diz ter sido contratado, por que Virgínia Mendes, estaria incomodada com a quantidade de reportagens publicadas sobre ela no site Isso é Notícia.

As gravações foram obtidas com uma ajuda de um amigo do jornalista, que fingiu ser desafeto de Aprá para se aproximar do detetive. Durante a conversa, Ivan Cury afirma que presta serviço para uma pessoa que tem poder no estado inteiro.

A reportagem da RecordTV também mostrou que diante das gravações, Alexandre Aprá descobriu que estava sendo monitorado por um aparelho de rastreamento fixado em seu veículo. O jornalista entregou todas as provas a Polícia Federal.

Outro áudio mostra que o detetive insinuava que poderia ganhar muito dinheiro caso matasse Aprá. No entanto, após descobrir que estava sendo gravado, Ivan Cury enviou um áudio para o jornalista e fez uma série de ameaças, que fez com que Alexandre Aprá deixasse o estado.

Mesmo diante de todas as provas da notícia-crime, a PF rejeitou a pedida do jornalista. A decisão foi dada no dia 10 deste mês, pelo delegado Renato Sayão Dias e foi baseada na falta de “elementos mínimos”, contra o Mauro Mendes.

“Nos arquivos encaminhados através de um disco rígido, não existe, ao que nos parece, nenhum indício de materialidade de crime cometido por autoridade com foro privilegiado”, diz trecho do despacho.

De acordo com o delegado, a denúncia feita pelo jornalista não trouxe a descrição “de nenhum ato praticado pelo Governador do Estado, e que também não houve relato de nenhum crime de competência federal”.

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), e a Associação Brasileira dos Jornalismo Investigativo (Abraji), posicionaram a favor do jornalista.

“ A sociedade precisa ter o direito assegurado para cobrar respostas do governador Mauro Mendes ou de qualquer outra autoridade. A vida de um jornalista foi colocada em risco e, nesse momento, a liberdade de imprensa está ameaçada em Mato Grosso. E sem imprensa livre, o povo também não é livre”, disse um trecho da nota.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
-
Atualizado às 21h00 - Fonte: Climatempo
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade do ar
% (mm) Chance de chuva
Amanhã (17/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Segunda (18/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °