", }); });
Terça, 18 de Janeiro de 2022
°

-

Dólar
R$ 5,52
Euro
R$ 6,30
Peso Arg.
R$ 0,05
Campinápolis Indígena

Com apoio da Funai, indígenas Xavante participam de curso de olericultura no Mato Grosso

Os indígenas pertencem à Aldeia Bom Jesus da Lapa, localizada na Terra Indígena Parabubure, que fica a 55 km do município de Campinápolis (MT).

01/12/2021 às 09h24
Por: Redação Fonte: Água Boa News
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Água Boa News

Um grupo de indígenas da etnia Xavante, do estado do Mato Grosso, participou de um curso de olericultura básica ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Mato Grosso (Senar-MT). A capacitação foi realizada em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai) por meio da Coordenação Regional (CR) Xavante, unidade descentralizada da fundação em Barra do Garças.

Os indígenas pertencem à Aldeia Bom Jesus da Lapa, localizada na Terra Indígena Parabubure, que fica a 55 km do município de Campinápolis (MT). Durante o treinamento, o grupo realizou uma apresentação de canto tradicional Xavante, numa forma de agradecimento pela iniciativa inédita para a comunidade.

Confira o vídeo.O curso teve uma carga horário de 40 horas. A olericultura trabalha com o cultivo de hortas seguindo técnicas adequadas, sendo que a produção de alimentos frescos, seja para consumo próprio ou para comercialização do excedente, traz inúmeros benefícios para a saúde e alimentação dos indígenas, além da possibilidade de ampliação de renda.

O treinamento abordou diversos tópico, entre eles, conceitos básicos da olericultura, classificação e tipos de exploração das olerícolas, planejamento e implantação de hortas, produção de mudas, além de colheita, beneficiamento, acondicionamento, transporte, armazenamento e comercialização das hortaliças.

Em outubro, também com apoio da Funai, outro grupo de indígenas Xavante das Terras Indígenas Parabubure e São Marcos (MT) concluíram o curso de manutenção básica e operação de tratores do Senar-MT. A etapa teórica foi realizada na CR Xavante e a parte prática em um espaço providenciado pelo Senar, utilizando um trator da Funai. Além do auditório e maquinário, a fundação também prestou apoio logístico aos indígenas.

A população Xavante apresenta grande demanda por utilização de tecnologias que facilitem o trabalho em suas roças comunitárias, em especial aquelas que possibilitem maior agilidade no preparo do terreno. Nesse sentido, o curso de tratores contribuiu para a operação segura e eficiente do maquinário, proporcionando maior capacidade de produção de alimentos e, consequentemente, o aumento da segurança alimentar.

Vídeo abaixo

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários