", }); });
Terça, 18 de Janeiro de 2022
°

-

Dólar
R$ 5,52
Euro
R$ 6,30
Peso Arg.
R$ 0,05
Geral Barra do Garças

Adolescente indígena é estuprada por quatro índios em Barra do Garças

A menina de 13 anos, que estava fazendo tratamento psicológico na Casai por ter sido estuprada pelo avô, agora está grávida de um dos abusadores.

02/12/2021 às 08h43
Por: Redação Fonte: Semana 7
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Semana 7 e O Livre

 

A mãe de uma adolescente indígena de 13 anos procurou a polícia na terça-feira (30) para denunciar que a filha foi estuprada por outro indígena enquanto estava hospedada na Casa de Saúde Indígena (Casai) de Barra do Garças (520 km de Cuiabá). Segundo informações, esta foi a quarta vez que a menina é abusada sexualmente.

 

A garota havia começado a frequentar a Casai em 2020, quando iniciou um tratamento psicológico por ter sido vítima de estupro por parte do avô em 2017, em São Paulo.

 

Conforme repassado, desde setembro, a mãe começou a perceber que a filha estava apresentando comportamentos físicos diferentes. A menina estava sempre cansada.

 

Outro detalhe que chamou a atenção da mãe, foi o fato da adolescente ter parado de menstruar. Assim, ela resolveu fazer um teste de gravidez de farmácia na menina, que deu positivo.

 

A mãe, então, conversou com a garota, que contou que estava sendo estuprada frequentemente por quatro homens indígenas. Segundo a menor, o fato teria acontecido ao menos cinco vezes com cada um, em momentos diferentes.

 

Dois dos envolvidos são primos da adolescente e trabalham na Casai, um deles é técnico de enfermagem e o outro trabalha na limpeza. Os abusos, segundo a adolescente, aconteceram na Casai.

 

A vítima disse que o terceiro acusado chegou a fotografar os abusos e que o estupro aconteceu na Aldeia Guadalupe, quando ela ficou com a mãe por dois meses na casa de uma tia.

 

O quarto acusado, segundo relato da mãe, confessou ter abusado da adolescente por duas vezes, sendo uma vez na Casai e outra na aldeia.

 

Assim que soube de tudo, a mãe levou a filha para fazer uma ultrassonografia e descobriu que ela está gestante de quatro meses.

 

O caso foi registrado pela Polícia Civil como estupro de vulnerável.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários