", }); });
Sábado, 21 de Maio de 2022
°

-

Dólar
R$ 4,88
Euro
R$ 5,15
Peso Arg.
R$ 0,04
Geral Água Boa

Empresário de 37 anos é indiciado por assediar babá de 16 anos em Água Boa

Adolescente também apresentou exame que atestou positivo para gravidez e que, segundo a jovem, foi oriundo da relação sexual com o suspeito.

03/05/2022 às 10h56
Por: Redação Fonte: Assessoria PJC MT
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Assessoria - PJC MT

 

Um empresário suspeito de importunar e assediar sexualmente uma funcionária de 16 anos que trabalhava como babá dos seus filhos foi indiciado pela Polícia Civil em investigações do inquérito policial instaurado na Delegacia de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá).

 

Na conclusão do inquérito o empresário, de 37 anos, foi indiciado por importunação sexual e assédio sexual e os autos foram encaminhados ao Judiciário para as providências legais.

 

O caso começou a ser investigado em dezembro de 2021, quando a mãe da menor registrou o fato na delegacia de polícia do município. A jovem afirmou que era assediada sexualmente com frequência e que em um determinado dia o patrão insistiu em ter contato mais íntimo, concretizando o ato sexual.

 

Ao longo da apuração do caso, a adolescente apresentou exame que atestou positivo para gravidez e que, segundo a jovem, foi oriundo da relação sexual com o suspeito.

 

No entanto, pouco tempo depois a vítima sofreu um aborto espontâneo, tendo os materiais genéticos sido coletados para fins de confronto para exame de DNA. 

 

Segundo o delegado responsável pelo caso, Valmon Pereira da Silva, o empresário é o principal suspeito de ser o responsável pela gravidez, mas até o momento não houve comprovação do fato, nem mesmo da violência ou grave ameaça durante o ato sexual, requisitos estes exigidos pelo artigo 213 do Código Penal.

 

“O que a nosso ver está devidamente comprovado nos autos, até o presente momento, é o assédio sexual praticado pelo suspeito em desfavor de sua funcionária, além da importunação sexual por ele perpetrada”.

 

No decorrer da investigação, foi constatado que outra funcionária, também menor de idade, havia sido vítima de abuso do empresário. A adolescente estava fazendo teste para trabalhar na empresa e recebeu uma proposta de cunho sexual como condição para ser contratada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários